Translate

Seguidores

Total de visualizações de página

sábado, 19 de janeiro de 2019

A Janela

Eu sempre tive medo do anonimato, de nao ser ninguém nunca.

Lembro-me de quando eu era um garoto comum na escola, a unica coisa que eu tinha de especial era que as pessoas me achavam estranho e pra piorar, do nada, adotei um estilo de me vestir bem bizarro, foi libertador pra mim, no entanto acabei voltando ao comum.'

Engraçado ter um medo e esse medo encarar você sempre, você precisa ficar se provando e provando.



Ano passado por exemplo, com 24 anos de idade me vem de repente a ideia "vou por um piercing". Claro que um piercing não é nada aos olhos de quem ta vendo, mas falo pelo ponto de que eu sempre tive a necessidade de me metamorfosear, mudar constantemente, por que o meu medo pelo anonimato vem junto com o esquecimento, ser anonimo e esquecido.

Ter medo de ser ninguém te faz querer ver o mundo, e eu até veria mesmo, se não fosse um cagão covarde.

Quando eu tinha 14 anos, vim pela primeira vez a uma cidade grande e estava passeando de carro, eu via toda aquela galera loca, com aquelas roupas legais e aqueles corpos e rostos lindos tudo que eu podia sentir era angustia por olhar pela janela do carro e não estar ali com eles.

Quando tinha 13 anos, ficava no quintal sozinho olhando pro céu imaginando o que haveria de existir nas estrelas, diversas vezes, olhava pros aviões, viajando distantes, eu sonhava com aquelas viagens, pensava horas a fundo sobre isso.    Já com 15 anos, quando viajei pela primeira vez de avião, tudo que eu fiz foi olhar pra fora e ver aquelas casinhas miudinhas ali, imaginando qual tipo de vida as pessoas levariam.


É muito ruim olhar pela janela, espiar qualquer coisa que seja, dar uma lidinha no fim do livro, tenho a impressão de que estou ensaiando uma peça que nunca será apresentada.

Hoje em dia, as pessoas ficam chocadas com o que acontece comigo, eu passei pela rua que olhei pela janela, hoje em dia que costumo ficar de madrugada nela, fico desejando estar no carro com conforto.


As vezes até me sinto cansado, por tudo.  Se você vive intensamente, chega certo momento que pouca coisa te atrai, ou tudo que é simples te atrai porem você nunca realmente sabe pra onde correr.


Vida simples = Tédio,  Vida agitada = Carencia.


"Você ja tentou manter um equilibrio"?


Equilibrio, palavra chave, mas o problema de manter o equilíbrio é que você fica a todo momento se desequilibrando de um lado pro outro.

As vezes tenho a impressão de que preciso desvendar uma xarada, que todas as questões me serão respondidas em determinado momento, eu acredito tão friamente nisso que as vezes faço coisas esquisitas como comer uma flor esquisita que eu acho na rua por pensar que ela pode abrir alguma coisa no mundo ou seila, enfim... loucura pura.



Com 18 anos, eu fui conhecer um cara na praia, não fomos a praia, só ficamos no seu apartamento, que era por sinal enorme e elegante, eu ficava olhando pro mar com olhos cheios de desejos.
    Semana passada, me deu uma loucura e acabei gastando meu salario todo na praia, fui num impulso com um cara que eu conheci aleatoriamente num bar, eu sentei na areia e lembrei desse momento, mas chorei muito, sem entender na realidade o que estava acontecendo, eu olhei para aquele mar imenso e desejei estar la no meio, mas agora tenho a consciência de que, chega de olhar pela janela, vamos viver o agora por favor?


Parece bem fácil não é?


Queria que fosse.




aah, bom...


eu continuo sendo ninguém

esquisito e peculiar, um eterno turista procurando um lugar que não existe.


Sou um estranho caminhando em terras estranhas.