Translate

Seguidores

Total de visualizações de página

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Ronald DeFeo e a Casa nº 112 da Ocean Avenue, Amityville, Nova York, Estados Unidos

Bom dia...
Eu já falei aqui no blog sobre como o cérebro humano pode fazer coisas incríveis se trabalhado, mas ainda não comentei o que ele pode fazer quando está doente, ou mesmo, como dizem, espiritualmente abalado.
    Todos já ouviram falar dessa história, claro, quem é apaixonado por anos 80 talvez lembre do filme Horror em Amityville.
    O filme, foi inspirado em uma história real, a história de Ronald DeFeo Jr. Assassino condenado após matar seus pais, e irmãos em sua casa. no dia 13 de novembro de 1973.
As vítimas eram o negociante de carro Ronald DeFeo, 43 anos, Louise DeFeo, 42 anos, e quatro de seus filhos: Dawn, 18 anos; Allison, 13 anos; Marc, 12 anos e John Mathew, 9 anos. Todos tinham sido baleados com um rifle modelo Marlin 336c calibre 0.35, cerca de três horas da madrugada daquele dia. Os pais DeFeo tinham sido baleados duas vezes, enquanto as crianças tinham sido mortas com um tiro apenas. A família DeFeo ocupava o endereço nº 112 da Ocean Avenue desde que o compraram em 1965.
    As histórias de Ronald foram todas inconsistentes sobre o ocorrido, pois há muitas divergências em todas elas, apesar dele ter acabado por confessar todos os assassinatos, como ele poderia ter matado a família inteira, cada um no seu quarto, e ninguém ouvir tiro nenhum? As vítimas estavam dormindo e não houve sinal nenhum de luta.
    Acontece que aquela casa era habitada por seres que não pertenciam a nossa dimensão, e eles podiam se comunicar com Ronald, eles sempre o acordavam na mesma hora da noite com vozes dizendo pra ele matar sua família.
    Ronald também usava LSD e Heroína, porém, os médicos disseram que no momento dos assassinatos ele estava totalmente sóbrio, então o que será que houve?
Amigos de Ronald, comentarão que ele, apesar de não se enturmar muito, parecia completamente normal, até meio feliz, pra alguém que teria tanta raiva assim da família, a ponto de mata-la enquanto dorme, contudo afirmaram também que o garoto ficava meio perturbado quando estava na sua casa, parecia outra pessoa.  "Ele estava lá com a gente, conversando e de repente parecia que seu corpo estava morto, quer dizer, estava longe seu olhar, e quando chamávamos sua atenção, ele mostrava estar ouvindo tudo, era assustador."  Disse Jane, sua amiga que morava perto.

   Ao ficar sabendo dessas histórias, a princípio, claro ficamos chocados e até meio incomodados, mas também podemos ver até que ponto a nossa mente consciente pode se deixar levar, pelo subconsciente, por isso semear o inconsciente das pessoas sempre é perigoso, mas a forma mais simples de conseguir o respeito de alguém.
   Talvez Ronald estivesse mesmo ouvindo vozes, talvez as vozes tenham sido seu próprio desgaste emocional gerado por sua família, ninguém pode dizer, mas o que nos leva mesmo a pensar é que com certeza, existe uma peça nessa história que Ronald não diz, ele conta várias versões da mesma história durante os anos em que esteve preso, mas nenhuma dela parece fazer sentido, são claramente pra desviar o foco dos reais acontecimentos e por que? quer dizer, ele foi condenado a 125 anos de cadeia, jamais irá sair da prisão, então por que insiste ainda com toda essa farsa?
    Tudo nos leva a crer que Ronald é atormentado até hoje por sua mente e pelos espíritos que conversam com ela, os mesmo que o ajudaram a assassinar sua família inteira enquanto dormia.
  E quanto a vocês? Vocês já pararam pra pensar que, se é você na sua mente que está falando, então quem é a pessoa que está ouvindo? vocês são a mesma pessoa? certeza?   
   O cérebro é algo muito fácil de se enganar, plante algumas sementes e já era, talvez Ronald estava tão cansado que teve uma ideia, nada á tirou da sua cabeça e pronto, seu cérebro não o impediu de fazer nada, muito pelo contrário, ele até ajudou.
   Por isso digo que é muito importante se conhecer, saber seus limites, pra não acabar numa dessas afinal, o maior peixe do lago, só é grande por que nunca é pego.

Se gostou da história, ou se não gostou também, deixe seu comentário embaixo e não se esqueça de se inscrever no blog, para ficar ligado sempre nas minhas histórias.